• PABX 11 4207 4623 / 4207-4630 / 4207-4504 / 4207-4713
  • 11 9 5628 4315
  • grafica@formidan.com.br

Formulário Contínuo para impressora Braile.

Somos fabricantes de formulário contínuo ou folhas soltas, utilizados para impressão de textos em BRAILE.

O melhor papel utilizado é o offset com 120gr/m² devido sua massa consistente para que o relevo da escrita possa ser sentida pelo tato.

O sistema Braille, foi inventado em 1825 na França por Louis Braille, utilizado na leitura e na escrita por pessoas cegas integrando os deficientes visuais na sociedade.

Consiste na leitura tátil através de 6 pontos em relevos distribuídos em 2 colunas de 3 pontos, formando “CELA BRAILLE”.

Sua identificação do alto para baixo, coluna da esquerda ( 1 – 2 – 3 ), do alto para baixo da coluna da direita ( 4 – 5 – 6 )

A diferente disposição desses seis pontos permite a formação de 63 combinações ou símbolos braille. As dez primeiras letras do alfabeto são formadas pelas diversas combinações possíveis dos quatro pontos superiores (1-2-4-5); as dez letras seguintes são as combinações das dez primeiras letras, acrescidas do ponto 3, e formam a 2ª linha de sinais. A terceira linha é formada pelo acréscimo dos pontos 3 e 6 às combinações da 1ª linha.  Os símbolos da 1ª linha são as dez primeiras letras do alfabeto romano (a-j). Esses mesmos sinais, na mesma ordem, assumem características de valores numéricos 1-0, quando precedidas do sinal do número, formado pelos pontos 3-4-5-6 

Vinte e seis sinais são utilizados para o alfabeto, dez para os sinais de pontuação de uso internacional, correspondendo aos 10 sinais de 1ª linha, localizados na parte inferior da cela braille: pontos 2-3-5-6. Os vinte e seis sinais restantes são destinados às necessidades especiais de cada língua (letras acentuadas, por exemplo) e para abreviaturas.

    Doze anos após a invenção desse sistema, Louis Braille acrescentou a letra “W” ao 10°  sinal da 4ª linha para atender às necessidades da língua inglesa.

ALFABETO  BRAILLE.  O sistema Braille é empregado por extenso, isto é, escrevendo-se a palavra, letra por letra, ou de forma abreviada, adotando-se código especiais de abreviaturas para cada língua ou grupo lingüístico. O braille por extenso é denominado grau 1, o grau 2 é a forma abreviada, empregada para representar as conjunções, preposições, pronomes, prefixos, sufixos, grupos de letras que são comumente encontradas na palavras de uso corrente. A principal razão de seu emprego é reduzir o volume dos livros em braille e permitir o maior rendimento na leitura e na escrita. Uma série de abreviaturas mais complexas forma o grau 3, que necessita de um conhecimento profundo da língua, uma boa memória e uma sensibilidade tátil muito desenvolvida por parte do leitor cego.

    O tato é também um fator decisivo na capacidade de utilização do Braille.

    O Sistema Braille aplica-se à estenografia, à música e às notações científicas em geral, através do aproveitamento das 63 combinações em código especiais.

    O Sistema Braille é de extraordinária universalidade: pode exprimir as diferentes línguas e escritas da Europa, Ásia e da África. Sua principal vantagem, todavia, reside no fato das pessoas cegas poderem facilmente escrever por esse sistema, com o auxílio da reglete e do punção.

    O Sistema Braille permite uma forma de escrita eminentemente prática. A pessoa cega pode satisfazer o seu desejo de comunicação. Abriu-lhe os caminhos de conhecimento literário, científico e musical, permitiu-lhe, ainda, a possibilidade de manter uma correspondência pessoal e ampliou também suas atividades profissionais.